Sobre o Mortos Vivos

  • Socios fundadores do Mortos Vivos

    Mortos Vivos encerra suas atividades em última edição no dia 14 de dezembro

    por Flávia Arakaki

    "Metade da minha vida dedicada à organização de festas, levando diversão a milhares de pessoas e onde fiz grandes amizades! São 23 anos de sucesso da balada Mortos Vivos e eu só tenho a agradecer a todos que fizeram parte do staff – pessoas esforçadas e muito competentes – e o seleto time de DJs, que está conosco há mais de dez anos! Os meus sinceros agradecimentos também aos muitos colaboradores e patrocinadores, que tornaram a Mortos Vivos esse sucesso absoluto na comunidade oriental!", agradece Tomas Yamamoto ao anunciar o encerramento da balada Mortos Vivos.

    Com o sentimento de missão cumprida por garantir diversão nas noites paulistanas ao longo de mais de duas décadas aos orientais e simpatizantes, Tomas encerra a sua carreira de organizador da Mortos Vivos para dedicar-se integralmente à família e tocar a sua empresa: ele é dono de uma agência de viagens, casado e pai de dois filhos. "É hora de dar espaço aos mais jovens e espero que novas equipes se organizem para continuar oferecendo as melhores baladas à comunidade asiática".

    A última edição – a despedida – será no dia 14 de dezembro e também representará o encerramento da carreira do renomado DJ Jorge: "São 25 anos como DJ. Início difícil e complicado com as MKs e as bolachas "vinyl"! Comecei na época que ainda não existia CD e a mixagem era "raiz", na pura orelhada. Época onde se fazia a abertura da festa com uma fita de rolo e corte na gillette. Vivi os momentos de transição vinyl x CD e CD x pen-drive. Consegui ter um set de 30min às terças, veiculados no programa rádio DJ da Energia 97FM (HotNineSeven). Me sinto completamente realizado como DJ por tudo que fiz, mas chegou o momento de sair de cena e agradecer por tudo e pra todos e posso afirmar que tudo valeu muito, mas muito a pena! Só tenho a agradecer! Obrigadooo galeraaaa!".

    A Mortos Vivos encerra suas atividades como um marco na comunidade oriental por ser a única balada voltada a esse público e que permaneceu no mercado por tanto tempo, oferecendo festas de qualidade e agradando diversas gerações:

    "Frequentei a Mortos Vivos na época em que as festas aconteciam na famosa Mansão Calipso! Essa época me traz muitas lembranças boas, de uma fase muito feliz da minha vida! Era um lugar de encontros e reencontros, uma mansão de pessoas "velhas" vivendo e curtindo a juventude! Momentos que vou levar para sempre comigo, desde os preparativos da "viagem" até a mansão, a fila pra entrar, até a expectativa de sair logo do carro para encontrar os amigos! Era A BALADA! Valeu Mortos Vivos!!!" (Ricardo Sato, 42 anos, empresário e psicoterapeuta).

    "Difícil transcrever tudo o que a Mortos Vivos foi na minha vida! Fui frequentadora assídua durante um bom tempo e lá tive a oportunidade de conhecer muita gente e encontrar muitos amigos também! Posso dizer com muita certeza que passei diversos momentos maravilhosos da minha vida nessa balada e que as boas lembranças vão estar sempre presentes! Tomas e cia: a vcs eu só tenho a gratidão! Por sempre buscarem o melhor em todas as baladas e por sempre darem o melhor de si e aguentarem por tanto tempo! Tenho certeza que todos que um dia foram na Mortos lembram da dedicação de vocês! Obrigada por tudo!!" (Cris Miyashiro, 33 anos, Analista de Comércio Exterior).

    "A balada Mortos Vivos foi o começo da minha vida social em SP. Por não ser daqui, eu não conhecia ninguém, então quando minha amiga me levou para essa balada, eu pude conhecer várias pessoas que eram parecidas comigo, e visto que eu sou de uma cidade que quase não tem asiáticos, foi tudo uma novidade, mas ao mesmo tempo parecia que eu estava "em casa". O clima de uma balada oriental é muito diferente de uma balada ocidental. As pessoas se respeitam mais e o ambiente cheio de pessoas orientais traz uma sensação de segurança e conforto. Foi na Mortos que eu fiz vários amigos, conheci muitas pessoas e pude me divertir aqui. Com certeza deixará muitas lembranças boas e que eu vou sempre recordar como dias felizes e únicos" (Clarice Yoko Ogawa Matsunaga, 21 anos, professora de dança).

    "Foi uma época muito boa, encontrava muitos amigos que não via com frequência, principalmente na Mortos de fim de ano" (Daniel Atsushi Higa, 19 anos, estudante de Arquitetura e Urbanismo).

    Então, venha para a última edição da Mortos Vivos, que já deixa saudades!

    LINE 14/12 MORTOS VIVOS

    ====================

    23:00 às 00:00 – DJ Edaki
    00:01 às 00:40 – DJ Gutinho Ishii
    00:41 às 01:20 – DJ Jorge
    01:21 às 02:00 – DJ Lyopak
    02:01 às 02:40 – DJ Tom Hopkins
    02:41 às 03:40 – DJ H7
    03:41 às 04:20 – DJ Ronaldinho Programa Lunch Break 97FM
    04:21 às 05:00 – DJ Adriano Roveri
    05:01 às 06:00 – B2B

    Informações:

    Local: Club A Moema

    Ingressos:

    Acima de 28 anos: Lista especial – VIP SOCIAL ou CONSUMA60

    Cadastre e pague no dia o valor de R$ 30,00 (VIP SOCIAL) de entrada ou R$ 60,00 consumíveis. Você decide na hora!

    O cadastro deve ser feito no link: https://tinyurl.com/y5r6ls2s (válido somente para maiores de 28 anos – sem horário para entrar)

    Compra online: https://tinyurl.com/y3ozovkd

    1º Lote: R$ 35,00 (R$ 35,00 + R$ 3,50 taxa) até 04/DEZ.
    2º Lote: R$ 40,00 (R$ 40,00 + R$ 4,00 taxa) até 10/DEZ.
    3º Lote: R$ 50,00 (R$ 50,00 + R$ 5,00 taxa) até 14/DEZ (até 19h).

    VENDA DE INGRESSO NO DIA/BILHETERIA R$ 60,00 (seco) ou R$ 120,00 (consumíveis).

  • próximas festas

  • MV no Facebook